Kultura Viramar

Batalha da Conquista – Noite de RAP com Nobre Vagabundo e MB em Praia Grande.

Por Thereza Ferreira Portaro.
Mais uma noite desafiante no Espaço Verde América.

Como tem acontecido mensalmente, no quarto sábado, a rapaziada do rap, do hiphop e das batalhas de rimas se encontrou para o último desafio do ano.
Quem acompanha a cena pela TV e já ouviu Emicida, Gabriel O Pensador, Projota, apenas para citar os mais visíveis, nem imagina como esse “movimento” acontece por trás dos holofotes.


É uma febre! As palavras brotam nos improvisos ou, mais ainda, nos “speedflow” com uma torrencial confiança. Os batalhadores são firmes, diretos, duros. Ou engraçados também.
Quem nunca assistiu uma batalha de rimas e gosta de usar palavras, precisa prestigiar essa rapaziada. Tem muito aprendizado ali. Não subestime a capacidade de absorção da realidade desses “manos”. Participaram da batalha os MCs Jota, Tubarão, Eminente, Big Creed, Kriv, Matt, Poeta, Scott e Thales. A cada intervalo entre um grupo e outro, uma apresentação acontece. Geralmente os próprios batalhadores mostram seu rap ou seu hip-hop. Alguns tem milhares de visualizações no YT. Os “muleque” são “top”! Letras elaboradas sobre a realidade de cada um propõem temas como política, protesto, esperança, fé, e tudo que lhes interessa falar.
Quem ainda pensa que os rappers são alienados ou apenas agressivos, não conhece esse universo. É surpreendente observar o quanto jovens entre 12 anos – já se apresentou aqui um rapper de 10 anos! – e os 21, em média, são antenadíssimos em tudo o que acontece por aí. E põem a boca no microfone pra se manifestar.

 

 

Mas nessa última Batalha da Conquista do ano, a moçada se eletrizou com a presença de rappers de primeira grandeza da cena de Mongaguá e São Vicente. Se apresentaram Nobre Vagabundo e MB, do Fusão Bélica, respectivamente. Com anos de estrada, cada um carrega na bagagem mais de 20 anos de estrada no rap, e já dividiram palco com estrelas nacionais do Movimento. Se propuseram a dar uma “palinha” aqui no Verde América, porque acompanham a nova geração que está crescendo e prestigiam sua luta. Ambos artistas ficaram felizes com a iniciativa dos dois jovens de 15 anos, organizadores do evento mensal, Jota e JD, e se encantaram com o espaço, inédito na região. Eles voltarão em breve aqui no Espaço com seu show master pros manos e minas da cidade. Aguardem.
“É nóis, mano”

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *