Cidade Cubatão

Comentários sobre uma pesquisa/propaganda eleitoral antecipada

Texto de Dojival Vieira.

 

A pesquisa divulgada pelo Jornal da Orla merece alguns comentários, porque revela uma das estratégias usadas por grupos econômicos detentores de contratos milionários na Prefeitura para se manterem no poder.

1 – trata-se de instrumento de propaganda antecipada do atual prefeito Ademário, na sua campanha à reeleição;

2 – para tanto, seus promotores incluíram candidatos que jamais foram candidatos e excluíram candidatos que são candidatos. Exemplo 1: o nome do ex-prefeito Nei Serra aparece como que do nada, sendo que o ex-prefeito jamais foi candidato; o nome do pré candidato do PDT, o ex-vereador Luiz Rosa, desaparece sendo que é pré-candidato pelo Partido. Exemplo 2: O ex-vereador Dinho Heliodoro, tampouco é candidato, mas lá está e disputando como segundo colocado.

Detalhe: ao que me consta, o ex-vereador não está sequer filiado a qualquer partido e, ao longo dos últimos três anos, esteve totalmente ausente da cena política, dedicando-se integralmente ao seu escritório de advocacia. Mesmo assim, está à frente na pesquisa estimulada do candidato Wagner Moura, o segundo colocado na última eleição municipal.
Ou seja: a intenção óbvia do pesquisador com partido é embaralhar os dados para utilizar a pesquisa como instrumento puro e simples de manipulação.

3 – Há dois dados que batem com a realidade (e também nisso, reside a manipulação, ao se misturar dados reais com imaginários): 1 – a rejeição ao governo Ademário que bate em quase 60%; e o altíssimo percentual de pessoas que disseram que não votam em nenhum dos nomes que lhes foram apresentados: cerca de 25% dos entrevistados – 1/4 do universo de pessoas entrevistadas.

4 – Mas, como a idéia, o propósito, é embaralhar para conseguir o resultado desejado, ou seja, a propaganda antecipada, lá está o mesmo prefeito rejeitado por cerca de 60% das pessoas, liderando a tal pesquisa. Ou seja, a lógica é a seguinte: se só tem tu (Ademário), vai tu mesmo – reeleição;

5 – Como toda pesquisa tem um custo seria muito revelador saber: 1 – quanto custou a tal pesquisa; 2 – qual a metodologia utilizada; 3 – quando foi feita e quantas pesssoas foram entrevistadas; 4 – quem pagou.

A mim não espantaria se entre os patrocinadores – ou patrocinador da tal pesquisa, não estiverem os donos de conhecida empreiteira que há décadas manda nos destinos da cidade, elegendo e “deselegendo” prefeitos.

É dessa forma que os interesses dos grupos econômicos que transformaram a Prefeitura em um balcão de negócios, vão se revezando – governo sim, outro também -, enquanto cresce a miséria e o abandono da população .

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *