Colunas do Rock Seções

Little Richard: lendário arquiteto do rock and roll morre aos 87 anos

Por Igor Miranda

Little Richard, um dos fundadores do rock and roll como o conhecemos, morreu neste sábado (9), aos 87 anos. A informação foi confirmada pelo filho do músico, Danny Penniman, à revista Rolling Stone. A causa da morte foi um câncer ósseo.

Nascido em 5 de dezembro de 1932, como o terceiro dos 12 filhos do casal Leva Stewart e Charles “Bud” Penniman, Richard Wayne Penniman começou sua carreira na música ainda em 1947, após ser descoberto por Sister Rosetta Tharpe – para muitos, a real pioneira do rock and roll. Trabalhou com uma série de músicos até conseguir um contrato com uma gravadora, no início dos anos 1950.

 

O resto é história. Sua forma eletrizante de cantar e tocar piano ajudou a construir o que conhecemos como o rock and roll, estilo que cativou o mundo e desdobrou em ramificações que justificam não só o trabalho de milhões de artistas e bandas, como, também, de veículos especializados em rock e seus subgêneros – como o Whiplash.Net.

Apesar do primeiro contrato ter sido assinado em 1951, o real sucesso de Little Richard só chegou, mesmo, em 1955, após mudar de gravadora. A música responsável por dar fama ao músico foi “Tutti Frutti”, em 1955. A faixa foi lançada em seu primeiro álbum de estúdio, “Here’s Little Richard” (1957).

 

youtube player

 

Depois, Richard emendou uma série de hits, com “Long Tall Sally”, “Slippin’ and Slidin'”, “Ready Teddy”, “Rip It Up”, “She’s Got It”, “The Girl Can’t Help It”, “Lucille”, “Jenny, Jenny”, “Keep A-Knockin'” e por aí vai.

No fim da década de 1950, Little Richard converteu-se à Igreja Adventista do Sétimo Dia e anunciou que seguiria carreira na música gospel, além de ser pastor. O retorno à música secular aconteceu em 1962, com uma turnê que chegou a envolver Sam Cooke como atração de abertura e Billy Preston como seu organista.

Os anos 1960 começaram a mostrar a importância de Little Richard para a música, já que foi uma das maiores influências de ninguém menos que os Beatles – banda que já até abriu show do músico – e Rolling Stones. Richard chegou a ensinar a Paul McCartney como reproduzir suas icônicas vocalizações, quase berrando.

 

youtube player

A história de Little Richard continuou a se entrelaçar com a do rock como um todo quando, em 1964, sua banda de apoio trazia um guitarrista posteriormente conhecido como Jimi Hendrix. Curiosamente, os dois brigaram algum tempo depois porque Hendrix estava chamando demais a atenção.

Sua carreira passou por muitos altos e baixos, além de diversas ocasiões em que trocou a música secular pela gospel e vice-versa. Na década de 1970, seu som já era considerado “velharia” e passou a fazer parte de turnês “revival”, apesar de ainda realizar apresentações em grandes espaços. Os problemas com drogas atrapalharam bastante a trajetória do músico, especialmente a partir deste período.

 

youtube player

Os últimos shows de Little Richard aconteceram em 2014 – sim, ele se apresentou ao vivo até chegar aos 81 anos. Aposentou-se de vez da música e teve poucas aparições, como em 2017, quando concedeu uma entrevista à Christian Three Angels Broadcasting Network e apareceu sem maquiagem e em uma cadeira de rodas.

Fonte: Whiplash

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *