Cidade Santos

Moradores de cortiços em Santos sofrem com descaso do Poder Público

Por Cadu de Castro.

A população moradora de cortiços em Santos está largada à própria sorte. O poder público (federal, estadual e municipal) é completamente negligente com as áreas ocupadas por comunidades em situação de vulnerabilidade.

Samara Faustino, líder comunitária, amiga queridíssima e a pessoa mais GIGANTE que eu conheço, pois dedica a sua vida à comunidade, está fazendo o papel do Estado, como sempre fez. Indo de casa em casa orientando as pessoas e buscando doações de máscaras, álcool em gel, etc.

Muitos questionarão o fato dela não estar no isolamento. Queridxs, isolamento é pra nós de classe média que temos condições dignas de moradia.

Os cortiços são tipos de moradias comunitárias. No caso de Santos, são casas do final do século XIX ou início do XX, sem nenhuma manutenção por parte dos proprietários, onde chegam a viver 50 pessoas num único imóvel. Banheiros e “área de serviço” são espaços comuns, compartilhados.

Geralmente há um único banheiro, precário, para servir aos 30, 40, 50 moradores, dependendo do imóvel. E todos, os moradores pagam aluguel, aluguéis caros, aliás. Variam de R$300,00 a R$900,00 por um cubículo, onde vivem famílias numerosas.

Essas família se submetem a este tipo indigno do moradia, pois não têm fiador e nem conseguem pagar um seguro fiança para um imóvel adequado.

A nossa bolha de classe média nos cega para as realidades das populações vulneráveis.

Aqui, o coronavírus causará um genocídio, sob a negligência proposital do Estado criminoso.

Minha queridíssima amiga Nay, trabalha como atendente em um dos maiores hospitais de Santos e convive com pessoas infectadas todos os dias. Ao final do dia volta pra casa, onde mora com o marido e filhos.

São quase 20 mil pessoas nessa situação na cidade da mentira, Santos, que se gaba do sexto lugar no IDH brasileiro.

Como disse meu amigo Ronaldo Pereira, liderança comunitária da quebrada, Santos é uma grande favela, escondida pelos jardins da praia. E o vírus nos cortiços e favelas será devastador.

Quem puder ajudar, doando máscaras, álcool em gel, etc., é só entrar em contato com a Samara Faustino, mande um inbox para ela, ou me peça o contato telefônico.

*Por favor, quem puder compartilhe, pois as autoridades têm de tomar uma atitude emergente.

 

 

Fonte: Facebook

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *