Paradigmas Filosóficos Seções

Novo estudo revela que fãs de terror lidam melhor com a Pandemia de Covid-19 do que as outras pessoas

Foto: Filme “Dia dos Mortos” de George A. Romero/ Imagem: Reprodução

 

Se você é do tipo que prefere assistir a filmes e séries de terror ou com temática apocalíptica, então se considere sortudo, pois de acordo com uma pesquisa recente você já tem vantagem sobre quem não gosta do gênero. Um novo estudo realizado pelos pesquisadores Coltan Scrivner, John Johnson, Jens Kjeldgaard-Christiansen e Mathias Clasen da Universidade de Chicago, Estados Unidos, revelou que os fãs de obras de terror lidam melhor com situações de crise, incluindo a pandemia de coronavírus.

A questão do porque as pessoas procuram horror por entretenimento há muito tempo ocupa a mente de filósofos e cientistas. A exposição intencional a situações de medo é, por si só, um fenômeno peculiar. Cientistas já tentaram resolver a aparente contradição sugerindo, por exemplo, que esse comportamento possa ser uma forma de catarse ou que a excitação gerada por estímulos assustadores, pelo menos em um contexto recreativo, seja prazerosa.

 

Foto: Edilson Borges / Unsplash

 

Segundo a pesquisa, tais experiências assustadoras podem atuar como simulações de vivências reais das quais se podem tirar informações e criar cenários possíveis. Em uma experiência simulada, como uma história oral, um romance ou um filme, é possível explorar futuros ou fenômenos prováveis e aprender o relativo sucesso de determinadas ações e atitudes. Embora imaginados, esses cenários simulados permitem que a pessoa se prepare para situações parecidas em nossa realidade. Os especialistas acreditam que estes indivíduos possuem maior resiliência e estão mais bem preparadas para lidar com emergências da vida real como a que atinge o mundo hoje.

Segundo entrevista recente dada por Scrivner, um dos pesquisadores especializado em curiosidade mórbida, quando a história do filme te atrai ela te leva à perspectiva dos personagens e involuntariamente aos cenários em que estão inseridos, você acaba ensaiando a situação. “Acreditamos que as pessoas estão aprendendo indiretamente”.

Ele chegou à conclusão depois que seus colegas pesquisadores questionaram 310 pessoas sobre suas preferências de gênero cinematográfico e séries. Eles então perguntaram se eles se sentiam preparados para o COVID-19 e se experimentavam alguma angústia psicológica, como ansiedade, depressão, irritabilidade e insônia.

Aqueles que simpatizavam com o gênero do terror pareciam menos chateados com a crise do que a maioria, e aqueles que desfrutavam dos chamados “filmes apocalípticos” – onde a sociedade entra em colapso – eram mais resilientes e capazes de se planejar com antecedência, tanto em termos mentais quanto práticos. “Você já viu isso cem vezes nos filmes”, diz Scrivner, “de modo que não é pego de surpresa.”

Foto: Daniel Jensen / Unsplash

Então, o que podemos aprender com filmes de terror? Embora a maioria das pessoas não assista a uma obra de horror com a intenção de aprender algo, histórias assustadoras apresentam amplas oportunidades de aprendizado. Elas permitem ao público explorar versões imaginadas do mundo a um custo muito baixo. Através delas, as pessoas podem aprender a escapar de predadores perigosos, a se comportar em novas situações sociais e explorar métodos para sobreviver a uma catástrofe, conclui o estudo.

Ou seja, os fãs de terror têm um entendimento melhor sobre como funciona o mundo “antes” e “depois” de eventos catastróficos repentinos. E em comparação com alguém que nunca simulou o fim do planeta, eles terão vantagens, pois já possuem essa experiência indireta.

Em resumo, o conselho é: assista filmes de terror, acredite, eles lhe farão bem.

Caso queira ler a pesquisa completa, acesse esse link.

Fonte:

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *