Cidade Santos

Pânico: Santander dá início a onda de demissões em massa

No meio da pandemia, Santander concretiza ameaças por metas e inicia onda de demissões no Brasil em massa e cria pânico, ainda maior, dentro das agências

Mesmo com lucro maior no primeiro trimestre em relação ao ano passado, em plena pandemia, o Santander está demitindo pais e mães de família em todo o Brasil. De sexta-feira (19/6) até a manhã desta quarta (24/6), foram dispensados seis bancários na Baixada Santista, quatro em Santos/SP e dois no distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá/SP.

 

“O Santander não precisa disso, porque tem um lucro bilionário, que cresce todo ano. Somente no primeiro trimestre teve lucro líquido de R$ 3,77 bilhões, 10,5% maior que o ano passado. No Brasil responde por quase 30% do lucro, o maior do conglomerado espanhol mundial. Fruto do trabalho dos funcionários, que estão na linha de frente contraindo Covid-19. Tudo isso e mais de R$ 1 trilhão liberado pelo Governo Federal aos bancos, para enfrentar a crise”, indigna-se Fabiano Couto, dirigente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região e trabalhador do Santander.

 

Os ataques do banco espanhol contra os direitos dos trabalhadores brasileiros é incessante. O Santander iniciou uma onda de demissões, tem projeto de dividir o salário e benefício dos funcionários, que vão ficar em home office, conforme entrevista do presidente do Banco, Sergio Rial, e são inúmeras e nacionais as denúncias de ameaças de desemprego caso não atinjam as metas absurdas por venda de produtos. Que estão se concretizando!

 

As unidades que já estavam com falta de funcionários irão precarizar ainda mais o atendimento aos clientes. De acordo com Couto, os poucos bancários que sobraram são responsáveis por várias funções ao mesmo tempo, ou seja, por atender dentro da agência, no autoatendimento, ir para o caixa, sair para fazer visitas, fazer serviço de gerência, abrir contas correntes e etc. O trabalho e o atendimento estão em colapso!

 

O Sindicato dos Bancários de Santos e Região protestou, dia 16/6, em frente da unidade Santos/Centro, Pça. Mauá, 20, das 10h às 12h, com cartazes e carro de som esclarecendo à população sobre a exposição de funcionários e clientes ao novo coronavírus dentro das agências, falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), a pressão por metas e a onda de demissões praticadas pelo banco espanhol no Brasil.

“Denuncie, vamos continuar nossa luta em defesa dos bancários e funcionários do Santander, mas precisamos da colaboração da categoria. Afinal, o Sindicato é você”, finaliza Fabiano.

 

Fonte: Sindicato dos Bancarios de Santos

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *