Cidade Frequência Caiçara Santos

Prefeitura de Santos continua negligenciando a situação precária das famílias do Mangue Seco.

De Ailton Martins para Frequência Caiçara.

A prefeitura de Santos continua negligenciando a situação precária das famílias do Mangue Seco. As condições que as famílias estão submetidas são subumanas, vivem em palafitas construídas com materiais encontrados nas ruas, nos lixos ou de doação. Com a obra do Projeto Nova Entrada de Santos iniciada pela prefeitura há cerca de dois meses, as palafitas onde residem as famílias têm sofrido impactos, pois com a movimentação de máquinas pesadas no território algumas têm cedido para dentro do mangue, ou seja, há uma tragédia anunciada que já foi colocada, inclusive em reunião para representantes da prefeitura, mas, nenhuma resposta ou proposta foi apresentada pelo executivo.

Foto: Bruna Azevedo

Na última semana com as fortes chuvas que ocorreram na região, uma parte do telhado de umas das famílias cedeu e caiu ao lado da cama onde dormia uma criança, por sorte, nada aconteceu, porém, a situação protela-se.

 

Foto: Bruna Azevedo
Outra questão, é que devido as obras e o trabalho de terraplanagem a única rua de acesso que as famílias utilizam tornou-se um lamaçal, inviável, por exemplo, das crianças irem para a escola, segundo os moradores, a lama é muita, quem arrisca-se a sair, porque tem que trabalhar, precisa afundar o pé no mangue, logo, tem que sair preparado para quando chegar na parte asfaltada, trocar de calçado. Crianças pequenas, é preciso levar nos braços, a distância que têm que percorrer até o ponto de ônibus é de cerca de 15min, devido a lama, o tempo eleva-se para uns dez minutos mais, traduzindo: as famílias estão abandonadas e entregues à própria sorte.
Foto: Bruna Azevedo

Uma moradora diz que tem chegado quase sempre atrasada na escola para deixar a filha. Numa matéria anterior postada na página do blog no facebook, um comentário de uma professora afirmando que trabalha na escola onde estuda a criança da matéria e, que de fato, a mãe e a criança sempre chegam atrasadas, porém, a escola não tinha a informação da situação precária.

Há cerca de quatro semanas, o vereador Chico Nogueira (PT), junto com sua equipe e alguns moradores do Mangue Seco, reuniram-se com representantes do executivo, entretanto, a prefeitura mostrou-se irredútivel em sua posição, voltou a afirmar que, somente tem para oferecer abrigos, justificando que as famílias não possuem cadastro em programas de moradia e, infelizmente, mesmo se tivessem, não há recurso neste momento para resolver a situação.

Mangue Seco

No bairro Mangue Seco, além dessas doze famílias que estão em situação de urgência, há outras – cerca de cem – em situação parecida, isto é, que também serão impactadas com a obra e que não possuem nenhuma resposta da prefeitura no que diz respeito a uma política habitacional de interesse social.

O projeto Nova Entrada de Santos está orçado em R$ 600 milhões.

Entenda mais sobre o assunto na matéria anterior:

O drama das 12 famílias do Mangue Seco, no Rádio Clube, em Santos.
Logo abaxo vídeo com depoimento de morador.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *