Cidade Frequência Caiçara Santos

Santos: o abandono social da cidade que lidera o ranking em qualidade de vida

De Ailton Martins para o site Frequência Caiçara.

A cerca de quatro meses que um grupo de doze famílias – que residem na Zona Noroeste de Santos – denunciam as condições precárias que estão submetidos. (leia aqui e assista aqui) A denúncia consiste no fato de a prefeitura de Santos ter iniciado as obras do Projeto “Nova Entrada de Santos” (obra de drenagem e pavimentação) passando por cima do território onde residem sem lhes oferecer nenhuma garantia digna de habitabilidade, de acordo com as famílias o local em si já é problemático, só estão lá por necessidade.

Foto: Ailton Martins
Para se ter uma ideia, o local fica em torno de dez minutos de caminhada na borda do mangue da Zona Noroeste, atrás do Morro Ilhéu, para chegar ao local, segue-se por uma estrada de barro que devido as obras e as chuvas transformou-se num local de difícil acesso, os postes de iluminação pública foram retirados, portanto, durante a noite, um local ainda mais inóspito. O fornecimento de água representantes da prefeitura diversas vezes, segundo os moradores disseram que iriam suspender.
“desde que essa obra começou, viver aqui ficou horrível, a gente tem que sair e enfiar o pé na lama, e estão construíndo essa estrada com a gente aqui no meio, quando a maré enche, dá pra imaginar nossa situação?”
Foto: Ailton Martins
Mobilização
Durante esse período reuniram-se com representantes do executivo e do legislativo, mas, nenhuma solução foi construída. (leia aqui) De acordo com as famílias durante as reuniões somente ouviram críticas e promessas. Cansadas e sob condições péssimas, algumas decidiram migrar para outras áreas de ocupação irregular da cidade, restando, apenas cinco famílias, as mais empobrecidas que esperavam que a prefeitura dessa uma resposta positiva, porém, nesta última segunda-feira (26/11) receberam o comunicado que no próximo dia 06 de dezembro, serão retiradas e alojadas em abrigos até que obtenham um local para ir.
Foto: Ailton Martins
“É só por Deus, eu vou falar, abandonaram a gente, todo mundo abandonou, a justiça do homem tá assim, mas, essas pessoas ainda vão responder perante a justiça de Deus, olha nossa situação aqui meu varão, a gente está aqui porque precisa, ninguém vive nessas condições porque quer, esses políticos, eu não sei, não tem Deus no coração não, mas, eu tenho muita fé que algo ainda vai acontecer, ponho nas mãos de Deus” morador
Foto: Ailton Martins
“Com as obras lá, as casas tremem quando passa uma máquina, sem contar que virou um lamaçal, sem condições pras crianças irem pra escola, se sujam toda de lama, se você for lá, vai ver, afunda o pé todo, está inabitável, e só tem a gente lá, a prefeitura tirou uma parte e deixou nós lá, nessas condições” relato de um morador
“Já veio político aqui, tirou foto, contou história, falou das eleições, agora cadê? Sumiu. Já fomos lá na câmara, dizem que entendem, que são solidários, tudo político, só estão pensando nos cargos deles, na política do partido deles.” morador
Foto: Ailton Martins
OBS: As famílias estiveram presentes na Audiência Pública sobre o projeto Nova Entrada de Santos em 25/06, (assista aqui e aqui) e questionaram o gerente de Engenharia, Sidney Filho da Ecovias, e o secretário de Desenvolvimento Urbano e presidente da Comissão Municipal de Análise de Impacto de Vizinhança (Comaiv), Júlio dos Santos, que chegou a dizer para as famílias que “não se faz uma omelete sem quebrar ovos” (leia aqui). Na audiência o ouvidor público da prefeitura, Rivaldo Santos, colocou-se à disposição para pensar uma alternativa junto ao executivo. Nada foi construído. A obra está orçada em torno de R$ 600 milhões e causará impactos para outras famílias do bairro vizinho Alemoa, onde outra comunidade está também sendo prejudicada. (leia aqui e assista aqui)
Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *