Cidade Colunas de Fato Praia Grande

Como comprar de graça em plena crise econômica/sanitária/humanitária

Por Débora de Lana 

 

Segundo a execução da Lei Orçamentária de 2021 teríamos R$ 351.556,00 para o Fundo de Assistência à Cultura, que é amparado pela lei nº 695 de 09/11/1990, entretanto percebo que há um chamamento público aberto que não reverte nenhum centavo aos artistas que irão concorrer às 80 vagas dispostas para participar da Mostra Coletiva, como assim?

Segundo o edital 002/2021 os artistas que serão responsáveis por quaisquer despesas que ocorra para que sua obra chegue ao local da mostra e, ainda, caso não consigam retirar a obra dentro do prazo estipulado poderá tê-la jogada no lixo. A prefeitura não se responsabiliza nem por manter a segurança física da obra, acreditam? Duvida? No final deste texto está o edital e a lei citadas.

 

 

Vamos nos recordar dos desrespeitos que foram feitos na execução da Lei Aldir Blanc, qual ainda iremos devolver mais de 180 mil reais. Em plena pandemia, no dia 21/08/2020, marginalizaram o artista de semáforo, proibindo mães e pais de família formalmente de executarem sua única opção de renda em um ano de calamidade pública, rumo ao segundo ano! Até hoje sonho acordada com um conselho de cultura ou representante democraticamente eleito que vai instaurar uma CPI para entender os valores gastos na SECTUR, já que o portal da transparência mais nebula do que transparece pra onde vai o meu, o seu, o nosso dinheiro.

Trabalhadores da cultura da Praia Grande uni-vos!

Não permitam esse disparate com os nossos trabalhos, nosso trabalho tem custo, é trabalho e merece remuneração. Boicotem esse edital e vamos lutar para que tenhamos editais com valores dignos para todos os segmentos que existem na Praia Grande. A cultura foi a primeira a parar e seremos os últimos a voltar, mais respeito por favor.

 

Link para o Edital clique aqui

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *