Baixada Santista Cidade Santos

ASSOCIADO OBTÉM PRIMEIRA VITÓRIA JUDICIAL CONTRA IMPORTANTE COOPERATIVA DE PESCA DE SANTOS-GUARUJÁ

 

Baixada de Fato: Senhor Antonio Nicolau, há muitos anos o senhor vem travando uma luta titânica, desigual, como cooperado da Cooperativa Mista de Pesca Nipo Brasileira, com sede em Guarujá, contra fraudes possivelmente efetuadas pelo presidente da mesma, uma verdadeira batalha de David contra Golias, e recentemente o senhor obteve uma importante vitória judicial, pelo menos nesta etapa, mas antes de mais nada, explique-nos, em breve síntese – para que os leitores possam entender – de que se trata esta ‘guerra’ que o Sr. vem travando?…..
Antonio Nicolau: Bom, primeiramente, gostaria muito de agradecer imensamente ao Jornal Baixada de Fato, pela oportunidade que está me proporcionando de poder expor ao público, esta denúncia sobre fraudes e irregularidades que ocorrem na Cooperativa Mista de Pesca Nipo Brasileira.
Acredito que seja do interesse da sociedade da Baixada Santista.
Há alguns anos, desde 2014, luto, tentado tornar público esses fatos, procurei até as 2 (duas) mais conhecidas imprensas jornalísticas de Santos, mas para meu espanto, ao saberem do ” quê se tratava “ e de ” quem se tratava”, eles logo se desinteressaram do assunto.
É uma pena, que as tradicionais imprensas jornalísticas da Baixada Santista, perderam o protagonismo e o brilhantismo das denúncias, passaram veicular e requentar, as “notícias velhas”, oriundas das grandes mídias nacionais (A Folha/ O Estado de SP/O Globo).
Sobre o assunto, eu venho brigando, através de uma Medida Cautelar de Exibição de documentos, na 2ª vara civil da 1ª Instância do Guarujá, desde 22/05/2014… Para obter o direito legal de cooperado, o DIREITO de ter acesso a todos os livros contábeis e fiscais, livro de cooperados e demais livros e documentações que foram negadas pelo presidente da Cooperativa. Já são mais de 3 anos aguardando esse direito.
A situação é que, o presidente da Cooperativa, José Conca Otero, agindo como um déspota, passou a dirigir a cooperativa, a propósitos de seus interesses e benefício , descaracterizando-a como cooperativa, passando a ser a sua empresa individual, apossando-se dos patrimônios da cooperativa, transferindo alguns imóveis aos seus sócios e a um dos seus filhos. Entre outras suspeitas, existe a de ele ter realizado mais de 5 empreendimentos imobiliários; construções de edifícios residenciais e comerciais de médio e de alto padrão na Baixada Santista, com recursos desviados da própria cooperativa, levando a mesma à sua decadência.Há um inquérito policial em andamento, na Delegacia sede do Guarujá, sobre a falsificação da minha assinatura e de outras 2 pessoas , para composição da diretoria no triênio 2011/2013. Também aguardo o resultado da denúncia realizada ao MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, sobre outras irregularidades. Existe outra ação na 2ª vara civil do Guarujá, 1ª instância; que trata d e uma ação de defeito, nulidade ou anulação sobre a venda dos imóveis da cooperativa, sem assembléia, onde o seu filho é o atual beneficiário da compra.
Diante de tais fatos, criei uma página na REDE SOCIAL FACEBOOK, aonde passei a desabafar e tornar público todas as documentações com transações questionáveis e ilícitas, as quais o beneficiaram e também aos seus sócios e filho.
Em represália às minhas postagens no FACEBOOK, o sr. José Conca Otero e o vice presidente José Ciaglia , moveram 2 processos civis por calúnia , injúria e difamação. Uma em Santos e outra em São Paulo, com pedido de remoção da página da rede social FACEBOOK.

 

Baixada de Fato: O senhor obteve, então, há poucos dias atrás, uma vitória judicial, em que não somente o presidente da cooperativa patronal de pesca foi condenado, mas o próprio FB, por eliminar uma página sua onde o sr. narrava suas lutas, quais são as próximas etapas?
Antonio Nicolau: Sim, graças a Deus e à equipe jurídica que me representa, refiro-me ao escritório Aquino Ribeiro e advogados Associados, onde todos os assuntos no que tange à Cooperativa e à minha pessoa têm um cuidado especial pelo dr. Antonio Sergio Aquino Ribeiro, advogado e amigo.
Em Santos, realizada a defesa jurídica, eles sucumbiram.
Em São Paulo, diante da verossimilhança dos fatos alegados e comprovados documentalmente através de documentos públicos, eles novamente sucumbiram e , o Facebook por erro, por ter removido a minha página, desobedecendo à ordem de suspensão determinado em juízo.
As próximas etapas, carecem da decisão judicial dos processos no judiciário e das conclusões tanto do MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL e do inquérito policial da DELEGACIA SEDE do Guarujá.
Enquanto isso, vou tornar público, o dossiê realizado por mim, sobre todos os fatos da cooperativa.

 

Baixada de Fato: O senhor vem sendo intimidado, ameaçado por parte do presidente ou do que restou da diretoria? Como pode uma Cooperativa que foi referência regional e nacional, cuja placa marcava praticamente a entrada do Porto de Santos, quem da margem santista mirava, e que hoje vê-se reduzida à esta triste realidade?

 

Antonio Nicolau: Sim, sofro ameaças veladas. É verdade, a história da cooperativa é linda.
Ela surgiu através da cooperação mútua de pequenos armadores pesqueiros, que, com pouco recurso financeiro, muitos anos de trabalho e dedicação, a transformaram na maior instituição de comércio de frutos do mar e referência de produção da América Latina como cooperativa. A cooperativa era uma potência na produção da América do Sul de frutos do mar, tendo como clientes, o mercado Europeu e a América do Norte. E dez filiais no Brasil. Estes dirigentes tinham o propósito voltado para o desenvolvimento do mercado local.
E quando o sr. José Conca Otero assumiu a presidência, ela entrou em déficit financeiro e ele se tornou um empresário de sucesso na construção civil e no mercado de frutos do mar. As pessoas e seus propósitos , assim se revelam os fatos.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *