A Movida Estudantil

Volta às aulas no pico da pandemia?

Por Professor Marcão Pasquantonio

Volta às aulas?
A quem pode interessar a retomada urgente do retorno do convívio social nas escolas?
Precisamos entender que antes de mais nada, não podemos mais estar a serviço do grande capital que busca valorizar o lucro e impor uma conduta política de apropriação das questões sociais principalmente em um ano eleitoral.
Devemos ter em verdade que o fato das escolas particulares estarem me mobilizando para o retorno às aulas tem uma característica de querer atender muitas vezes à sua clientela e exclui nessa condição questões ligadas ao pedagógico e aos afetos dos seus alunos.
Por outro lado, nas redes públicas estaduais e municipais me parece que nossos governantes tem a pressa do novo normal, para satisfazer a vontade de pais e alunos que não entendem ou não se preocupam com a questão que vivemos em uma pandemia e são usados politicamente em uma falsa realidade de normalidade imposta pelos homens que estão nos cargos executivos e que tem por grande parte dos poderes legislativos locais a complacência dessa retomada em momento tão grave da pandemia ,uma situação tranquila de convivência social.
Precisaremos voltar a vida social mas, isso deve ser feito ouvindo a Ciência, principalmente infectologistas e sanitaristas e entender que além disso e como se trata do ambiente escolar, dar ouvidos também para educadores, pedagogos e Professores que pode sim a partir de uma análise científica da educação pensar esse retorno que precisa ser lento e gradual.
Corremos o risco que por ser em nome do lucro e do político, estarmos cometendo um verdadeiro pedagocídio e por que não, um homicídio da nossa população.
Se estamos isolados socialmente e isso nos leva a refletir sobre a nossa sociedade, não se pode mais pensar a Escola e a Educação sem a fala, a intervenção e o conhecimento dos Professores.

 

 

Professor Marcão Pasquantonio é Diretor licenciado do Sinpro Santos e região e Pré Candidato a Vereador pelo PDT

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *