Cidade Mongaguá

Fernando Felizi, de Mongaguá, poderá ser o fenômeno equivalente a Kayo Amado, em São Vicente?

Por Redação BF.

Há dois anos atrás São Vicente vivia uma fase de ingovernabilidade parecida à de Mongaguá hoje. O desprestígio do PSB com a vitória do Billi, o posterior boicote à cidade, crise política e financeira local, por pouco não levou a uma vitória do novato Kayo Amado, da REDE, tendo o professor Maykon Rodrigues, do transparente PSOL, como vice. Foi ‘por milésimas’, como se diz popularmente, uma vez que a cidade estava cansada das velhas e viciadas políticas, e o novo com – capacidade – se fazia necessário. Dos 48.641 votos Kayo saltou agora, como candidato a deputado, a praticamente 55 mil votos, e será uma das maiores apostas para daqui a dois anos.
Mas agora, e em Mongaguá, a situação é pior ainda para a velha política, pois um dos partidos principais, o PSDB, teve o prefeito recentemente cassado por dupla corrupção (a PF foi revistar sua casa pela questão de desvio de merenda escolar e encontrou uma falsa parede com milhões ocultos), e o outro candidato, do PSB, tem como sua vice, do DEM, justamente a esposa de outro prefeito anterior também punido pela Justiça. No caso, Fernando (liderança da Juventude do PT regional) também conta com o apoio de membros do PSOL (que só não saiu de vice por uma questão burocrática de tempo) e de cidades vizinhas. O Plano de Governo guarda muitas semelhanças com os de Kayo Amado/ Maykon Rodrigues (REDE/PSOL) de São Vicente e de Jasper/Pixoxó (PSOL) de Praia Grande, com ênfases na valorização dos Servidores Municipais, saúde, educação, meio ambiente e pleno emprego através da economia solidária e fortalecimento do 3º Setor através do forte apoio ao Turismo, eco-turismo e Cultura, como calendário de eventos permanentes e atração de visitantes internacionais.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *